terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Canelones de Peito de Peru Recheados com Ricota


 
 
400g de ricota fresca
100g de queijo parmesão light ralado ou parmesão ralado light
1/2 xícara de chá de requeijão light
1/2 xícara de chá de uvas passas brancas
1/2 xícara de cebolinha picada
1/2 xícara de salsa ou coentro picados
250g de peito de peru defumado light ou presunto light ( cerca de 15 fatias )
2 latas de tomates pelados cortados em cubos
Folhas de manjericão a gosto
Sal a gosto
 
Modo de Preparo:
 
Recheio: Passe a ricota fresca por uma peneira e recolha numa tigela grande.
Acrescente o parmesão (reserve um pouco para a finalização do prato), o requeijão, as passas, a cebolinha, a salsa e misture bem, até obter uma textura de recheio.
 
Montagem: Distribua as fatias de peito de peru sobre um prato, coloque uma porção do recheio sobre cada uma e enrole-as em seguida, formando canelones.
 
Molho: Coloque numa tigela o tomate picado com o molho dele, as folhas de manjericão, o sal e misture bem. Forre um refratário retangular com uma parte do molho, sobre ele acomode os canelones e espalhe o restante do molho. Polvilhe com o parmesão reservado, cubra com papel alumínio e leve para aquecer em forno médio por cerca de 20 minutos. Sirva em seguida.
 



domingo, 18 de janeiro de 2015

Sopa de Cebola Francesa





  • 1 Colher de sopa de manteiga
  • 3 cebolas cortadas em fatias bem finas
  • 2 colheres (sopa) de água
  • 2 colheres (sopa) de farinha de trigo
  • 1,5 litro de caldo de galinha
  • 100 ml de vinho branco
  • Sal e pimenta do reino a gosto
  • 6 fatias de pão
  • 60 g de queijo ralado tipo Gruyere
  •  
    Derreta a manteiga em fogo baixo e refogue a cebola, mexendo constantemente, até dourar, cerca de 15-20 minutos. Junte 2 colheres (sopa) de água, tampe e cozinhe por mais 15 minutos
    Adicione a farinha e misture para cobrir toda a cebola. Cozinhe por mais 5 minutos, mexendo sempre. Adicione em seguida o caldo de galinha, o vinho, sal, pimenta e deixe ferver. Abaixe o fogo e cozinhe por 20 minutos.

    Preaqueça o forno em temperatura bem alta (240ºC)

    Enquanto isso, toste o pão até ficar bem crocante, pois assim ele não vai desmanchar quando estiver junto com a sopa. Coloque uma fatia no fundo de cada prato ou cumbuca e despeje a sopa. Polvilhe queijo ralado em seguida.

    Leve a sopa ao forno por alguns minutos para gratinar e sirva imediatamente.






     
     

    quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

    Bolo de Tangerina



    250 gr de manteiga
    6 ovos
    3 xícaras de açúcar
    4 xícaras de farinha de trigo
    1 xícara de leite
    1 xícara de suco de tangerina
    1colher de sopa de fermento
    1 colher de sobremesa de bicarbonato de sódio
    Raspa de 2 tangerinas
    1 pitada de sal


    Em uma batedeira coloque o açúcar, os ovos e a manteiga e deixe bater por 10 minutos, até ficar bem batidos, acrescente alternadamente o leite, a farinha peneirada, as raspas e o suco de tangerina e bata até ficar homogêneo. Desligue e acrescente o fermento e o bicarbonato e misture.
    Unte a assadeira com manteiga e polvilhe com farinha de trigo e leve ao forno pré aquecido a 200ºC por 30 minutos ou até enfiar o palito e ele sair seco.

    

    segunda-feira, 19 de agosto de 2013

    BIFE COM VERDURAS




     
     
     
    500 gr de filé cortados em bife
    1 tomate cortada em cubos pequenos
    1 cebola média cortada em cubos pequenos
    coentro e cebolinha fatiados
    2 rodelas de pimentão vermelho cortados em cubos pequenos (opcional)
    1 colher de sopa de manteiga
    Sal e Pimenta a gosto
     
    Tempere os bifes ao seu gosto, grelhe os bifes em uma frigideira antiaderente, depois dos bifes estarem no ponto, retirem eles da frigideira e coloque na frigideira a manteiga, quando ela esquentar coloque a tomate, a cebola, o coentro e cebolinha e deixe cozinhar por 2 minutos, acerte o sal e pimenta do reino.
    

     
     
     
     
     
     
     

     
     
    Esse prato só me lembra quando eu era solteira, se fazia muito na casa de minha mãe, hoje me deu uma vontade de comer ele e colocar ele aqui para vocês!!!!
     
     


    

    sexta-feira, 31 de maio de 2013

    S.O.S. NOIVAS NA COZINHA: Bolo de purê e camarão

    S.O.S. NOIVAS NA COZINHA: Bolo de purê e camarão: Gente, esse prato é muito fácil e rápido, vamos lá!!!!   Essa é uma frigideira dupla, tem marcas que nomeiam como omeleteira.   ...

    Bolo de purê e camarão

    Gente, esse prato é muito fácil e rápido, vamos lá!!!!


     
    Essa é uma frigideira dupla, tem marcas que nomeiam como omeleteira.
     
     
     Faça um purê de batatas e camarões com molho de tomates.
     
     
    Vamos agora a montagem, pegue a frigideira mais funda e coloque uma camada com a metade do purê, reserve o restante
     

    Depois coloca uma camada do camarão com molho de tomate e algumas ervas como manjericão.
     

    Coloquei umas fatias de queijo Gouda, mas pode ser o de sua preferência.
    
    
    
     

    Cobre com o restante do purê, e fecha a frigideira. Leve ao fogo e fique virando a frigideira, para o purê ficar dourado dos dois lados. Abra a frigideira quando tiver dourado e vire em um prato.
     

    Agora é só saborear!!!!!
    Bom Apetite!!!
     
     
    

    


    terça-feira, 28 de maio de 2013

    Salmão com suco de laranja e ervas

    Depois de um longo período sem postar, estou de volta!!!! terminei minha pós graduação em Gestão em Gastronomia, defendi meu TCC que teve como tema: BOLOS PERNAMBUCANOS: histórias, influências e sua inserção nos estabelecimentos comerciais na cidade do Recife. Graças a Deus fomos aprovadas e agora preciso utilizar a gestão em meu blog, e para isso tenho que voltar a postar!!!!!

     
     
     
    Esse é o tipo do prato fácil de fazer, se chegar uma pessoa na sua casa, vc ainda faz bonito oferecendo um jantar que não demora 40 minutos para ser feito.
    Outra coisa, é tudo de olho, não existe medida é tudo ao seu gosto, então vamos lá:
     
    Salmão, suco de laranja, azeite, tomilho desidratado, estragão desidratado, sal. Coloque nessa ordem para quando colocar os líquidos no salmão não retirar as ervas e sal de cima do peixe. Cubra com papel alúmínio e leve ao forno por uns 20 min. Retire o papel e deixe por mais uns 10 min.
     
     
    
     
    Eu fiz 3 filés desse, coloquei o suco de duas laranjas, o resto foi a gosto, eu gosto com pimenta, coloquei no meu e caprichei nas ervas, minha filha já não gosta de muitas ervas, coloquei no dela menos e no do maridão com menos sal.
     
    Mãos a obra e na imaginação também!!!!
     

    segunda-feira, 12 de novembro de 2012

    Farofa de Biju

     
     
    1/2 copo de azeite
    4 dentes de alho amassados
    1/2 pacote de creme de cebola
    1/2 pacote de soja texturizada (a clara)
    1/2 pacote de farinha de mandioca flocada de BIJU ( só tem no carrefour )
     
    Coloque o azeite para esquentar e acrescente o alho, quando dourar misture o restante dos ingredientes e misture bem, deixe dar uma torradinha, se vc achar necessário acrescente mais azeite. As vezes eu coloco um pouco de pimenta calabresa ou orégano ou manjericão.
     
    É de comer rezando!!!!.  



    terça-feira, 30 de outubro de 2012

    Cheesecake Salgado



    Massa:

    1 pacote de Cream Cracker
    ¾ de xícara de manteiga

    Recheio:

    4 ovos
    1 xícara (chá) de creme de leite sem soro
    1 colher (sopa) de farinha de trigo
    1 xícara (chá) de queijo minas padrão ralado
    1 xícara (chá) de queijo ricota ralado
    2 xícara (chá) de cream cheese
    1 colher (chá) de orégano
    ½ colher (chá) de sal

    Em um recipiente amasse as bolachas em um triturador até virar farinha. Adicione a manteiga e mexa até ficar homogêneo. Coloque a mistura numa forma circular de fundo falso e aperte bem. Reserve.
     
    Em outro recipiente, misture os ovos, o creme de leite, a farinha de trigo, os queijos, o orégano e o sal. Coloque o recheio sobre a massa e levar para assar por 40 minutos em forno baixo, ou até dourar.

     
    
    A cobertura fica ao seu gosto, aqui são tomates temperados com azeite e vinagre balsámico e manjericão. Pode acrescentar nessa de tomates um presunto fatiado finamente.
    Outras sugestões: Molho de quatro queijos; Molho de queijo gorgonzola com camarões; Salpicão de frango; Camarão ao molho de coco; Molho de gorgonzola com pêras salteadas na manteiga; Frango aos quatro queijos..........................
    Bem a cobertura realmente tem uma infinidade, coloquem a imaginação para funcionar.

    quinta-feira, 23 de agosto de 2012

    CAMARÃO AO COCO COM MOLHO DE MANGA E HORTELÃ

     
     
     
    800g de camarão grande
    400g de amido de milho
    4 claras
    400g coco desidratado
    Sal e pimenta a gosto
    800 ml óleo
    400g manga
    1 maço de hortelã
    400ml água
    100g açúcar
    4 porções de arroz cozido em chá de capim santo

    Lave e seque os camarões. coloque o amido de milho, as claras batidas e o coco em três vasilhas separadas. Tempere os camarões com sal e pimenta a gosto e passe no amido de milho, retire o excesso, passe na clara e por fim no coco. Aqueça o óleo e quando estiver bem quente começe a fritar os camarões. Deixe escorrer em papel toalha e reserve mantendo quente.
     

    Corte a manga em cubos pequenos, coloque no fogo a manga, a hortelã picada, a água e o açúcar e deixe reduzir até ficar com uma consistência mais grossa.
     

    coloque no prato uma porção do arroz, os camarões ao lado e o molho de manga em volta do prato. E enfeite com hortelã, e duas fatias finas de mangas grelhadas.
     
    Pode ser servido só o camarão com o molho, ai fica uma entradinha!!!! 

    quarta-feira, 8 de agosto de 2012

    Para quem quer sempre umas ervas frescas!!!!!





    Ás vezes não usamos todo aquele ramo de ervas fresquinhas, que compramos para determinadas receitas.

    Congelando dessa forma elas não escurecem não perdem sabor e nem o aroma :)

    Passos para Congelamento das ervas em azeite ou manteiga sem sal (derretida)

     


     



    1.Escolher ervas frescas, de preferência do mercado ou o seu próprio jardim.
    2.Se quiser você pode picá-las bem, ou deixá-las em ramos e folhas maiores. Na foto, as ervas foram finamente picadas.
    3.Colocar em bandejas de cubos de gelo (cerca de 2/3 cheio de ervas).
    4.Você pode misturar as ervas (sálvia, tomilho, alecrim).
    5.Colocar azeite extra-virgem de oliva ou manteiga derretida sem sal sobre as ervas.
    6.Cobrir com filme plástico e congelar.
    7.Remove os cubos congelados e armazenar em recipientes ou sacos pequenos de congelamento.
    8.Não esqueça de etiquetar cada embalagem ou o saco com o tipo de erva (e óleo) dentro!
    9. Usar em assados, batatas cozidas, etc
     


    Fontes:
    thekitchn.com
    SiteReceitasGiseleVieira


    Pessoal, realmente gasta-se um pouco com azeite... mas o lance não é só economizar ervas para qe não estraguem, mas sim tê-las consigo para usar naquela comidinha de última hora, que merece todo amor, carinho e sabor... seja pra uma visita querida e inesperada, seja pra amigos e familiares...
     
     

    domingo, 29 de julho de 2012

    Nhoque de Mandioquinha com Langostin Perfumado ao Conhaque



    Essa receita vi no blog  de minha amiga Paula Barrozo.  http://paulabarrozo.blogspot.com.br/, pedi autorização para colocar aqui no meu blog, pois achei a receita maravilhosa. No início ela conta a história do nhoque.
    A simpatia de comer nhoque todo dia 29, com uma nota de dinheiro cuidadosamente guardada embaixo do prato para atrair fortuna, é de origem italiana. A tradição conta que foi na Itália que São Genaro apareceu de surpresa na noite de 29 de dezembro, vestido como um pobre andarilho. Ele pedia comida e foi acolhido por um jovem casal, com quem o santo dividiu um prato de nhoque. Agradecido, São Genaro fez com que uma boa quantidade de dinheiro aparecesse debaixo do prato dos generosos anfitriões. Em anos bissextos, a tradição é ainda mais especial, pois é possível comer nhoque também no mês de fevereiro. Para dar sorte os 7 primeiros pedaços de nhoque devem ser comidos de pé. Depois, ao sentar-se, é preciso depositar o prato sobre uma nota e saborear o resto. Selecionei receitas muito gostosas e fáceis de fazer e alguns molhos deliciosos para você poder variar e comer nhoque todo dia 29 sem enjoar !!! ;)
    Escolha a que mais te apetecer e mãos a massa !!!
    Aqui só coloquei a receita de nhoque de abobrinha com lagostim, quem quiser mais acessem o blog de Paula Barroso http://paulabarrozo.blogspot.com.br que lá tem várias receitas de nhoque.


    Ingredientes

    100g de farinha de trigo
    500g Mandioquinha cozida
    02 gemas
    70g de queijo parmesão
    Sal, pimenta e noz moscada

    Molho

    04 lagostins inteiras (bonitas para decoração)
    20 lagostins descascados
    02 abobrinhas
    02 dentes de alho
    5ml de conhaque
    250ml de molho ao sugo
    15ml de azeite extra virgem
    20g de tomate cereja cortado ao meio
    10g de salsinha
    04 folhas de manjericão

    Preparo da Massa

    Misture a farinha de trigo com a mandioquinha cozida e já fria, as gemas, o sal, a pimenta, a noz moscada e o queijo parmesão. Amasse até ficar uma massa lisa e uniforme. Enrole essa mesma massa em uma superfície lisa. Faça uma tira de 2cm de altura e corte em 2cm de largura.

    Preparo do Molho

    Em um frigideira grande, esquente dois dentes de alho no azeite até ficar dourado e depois os retire. Coloque o lagostim inteiro e descascado no azeite que ficou na frigideira. Deixe-o dourar dos dois lados e adicione a abobrinha cortada em fatias.
    Em seguida, coloque o manjericão, a salsinha, o sal e a pimenta. Flambe o langostin com o conhaque. Leve-o para o prato e adicione o molho de tomate e o tomate cereja.

    Finalização

    Ferva 5 litros de água com sal. Após levantar fervura coloque o nhoque para cozinhar. Quando a massa levantar na superfície retire com uma escumadeira. Sirva a massa em uma travessa e adicione o molho. Finalize com um lagostim inteiro e um fio de azeite extra virgem.

    segunda-feira, 26 de março de 2012

    Bolo Nega Maluca

    Hoje é o dia do chocolate, nada mais justo do que homenagea-lo, escolhi uma receita de bolo fácil e muito gostosa.




    Ingredientes:
    3 xícaras de farinha de trigo
    2 xícaras de açúcar
    1 xícara de chocolate em pó
    1/2 xícara de óleo de girassol
    1 pitada de sal
    2 colheres (sopa) bem cheias de fermento em pó
    2 xícaras de água fervendo
    3 ovos

    Peneire a farinha, o fermento, o açúcar e o chocolate em pó. Bata os ovos. Faça uma cova no meio e ponha os ovos batidos e o óleo. Cubra os ovos com a farinha que está nas laterais, para que os ovos não cozinhem com a água fervendo que será colocada. Adicione a água fervendo e mexa rapidamente.
    Coloque em uma forma untada e enfarinhada.

    NÃO BATA NA BATEDEIRA.

    Forno pré-aquecido por 40 min.
    OBS: A massa é mole.

    Cobertura
    3 colheres de chocolate em pó bem cheias
    1 xícara de açúcar
    2 colheres de manteiga
    1 xícara de leite

    Leve ao fogo todos os ingredientes e quando estiver um pouco consistente, despeje a metade no bolo furado com o garfo ( fure o bolo ainda quente). Volta a cobertura restante ao fogo e mexa até dar bastante consistência. Despeje o resto no bolo e cubra com chocolate granulado
    

    sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

    FELIZ ANIVERSÁRIO

    Quero dizer simplesmente que nunca pensei que eu um dia teria um blog  ,e é por causa de todos vocês que continuo aqui, vocês fazem o blog crescer a cada dia, e por isso eu digo: PARABÉNS PRA NÓS, pois o sosnoivasnacozinha fez no dia 04/02/2012  1 ano de vida e são vocês seguidores e seguidoras que fazem parte disso tudo!
    OBRIGADA!!!!!!!!


    quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

    Bolinho de Bacalhau com Mandioca (macaxeira)


    Essa receita é de uma grande amiga minha, Enelma, que só sabe dar receita de boca. sem quantidade nenhuma. Quando eu disse que estava colocando no blog receitas de bacalhau, então ela fez a receita na casa dela pesou todos os ingredientes e ainda tirou algumas fotos. Só uma grande amiga para fazer isso!!!!

    Bolinho de Bacalhau com mandioca (macaxeira)
     1,200 kg de macaxeira cozida
    600 gr de bacalhau refogado
    250 gr de cebola picada tipo brunoise
    02 ovos inteiros
    1 pitada de pimenta do reino
    3 colheres de sopa de cheiro verde bem picadinho(coentro e cebolinha)
     
    Modo de preparo:
    Macaxeira:
    Descasque e cozinhe a macaxeira em água sem sal. Não deixe cozinhar demais. Retire da panela e escorra todo o excesso de água em um escorredor de massa. Amasse toda a macaxeira utilizando um garfo e reserve. O resultado deverá ser uma massa sem seca, que ao ser apertada irá ficar compacta. (se estiver mole não servirá para fazer os bolinhos, use para fazer outro prato como escondidinho por ex). Reserve 1,200 kg dessa massa.


    Bacalhau:
    Coloque o bacalhau de molho em água por umas 8-10 horas, e troque a água por 3 vezes. Não retirar todo o excesso de sal, pois não usaremos sal na receita. Desfie todo o bacalhau e refogue em uma frigideira com bastante azeite. Irá soltar um pouco de água, deixe secar. Esse bacalhau ficará sequinho, sem excesso de líquido. Reserve 600 gramas.


    Cebola:
    Pique a cebola bem picada, não triture no master, nem rale, pois soltará muito líquido.
    Coloque em um recipiente, a massa de macaxeira, o bacalhau, a cebola picadinha, 2 ovos inteiros, uma pitada de pimenta e o cheiro verde. Misture bem com as mãos. Retire uma pequena porção de massa, modele e frite. Prove sal e temperos. Se precisar de ajustes o faça nesse momento. Não havendo necessidade modele toda a massa em formato de cilindro, ou pequenas bolinhas e frite.
    Se quiser pode congelar em aberto, depois colocar em saquinhos para congelados. Durabilidade de 6 meses.
    Após congelado tire do freezer alguns minutinhos antes de fritar, para não ficar gelado por dentro.
    Um belo acompanhamento para os bolinhos é um molho ou geléia de pimentas e azeite.
    É só!
    Agora é só se deliciar!!!
     







    quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

    Mingau Pitinga




    250 g de massa de mandioca fresca
    Leite de 2 cocos secos e  grandes (grosso e fino)
    250 g de bacalhau demolhado, retirado o sal, sem pele e desfiado

    250 g de camarão cozido sem casca e sem calda (fazer um caldo da cabeça )
    3 ovos cozidos e cortados em pedaços ou 12 ovos de codorna inteiros

    1 litro de leite
    1/2 litro caldo de peixe

    1 cebola grande ralada ou a brunoise

    1 Pimentão vermelho bem picadinho (brunoise)
    2 tomates bem picadinho sem pele e sementes

    Cheiros verdes picados ( coentro e cebolinha)

    Pimenta de cheiro
    Pimenta do reino moída na hora ou mix de pimentas

    Manteiga e azeite

    Noz moscada – 1 c. chá rasa
    Folha de louro – 1 folha média

    Modo de fazer

    Numa panela coloque o azeite e a manteiga, assim que esquentar acrescentar a cebola ralada ou cortada a brunoise para dourar. Juntar o bacalhau, o pimentão, tomate, cheiros verdes (coentro e cebolinha), pimenta de cheiro, pimenta do reino,  noz moscada e louro. Acrescentar o leite de côco grosso e o caldo de peixe. Refogar bem, mexendo. Reserve.
    Preparar o mingau com a massa de mandioca, o leite de côco fino e o leite de vaca. Mexer até cozinhar bem o mingau. Acrescentar o refogado do bacalhau, adicionar os camarões e mexer com cuidado até misturar bem.

    sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

    Pavê de Bacalhau




    Ingredientes

    500gr de bacalhau dessalgado, aferventado e desfiado
    1 cebola média picada
    2 dentes de alho amassados
    3 tomates sem pele picados
    1/2 xícara de chá de azeitonas pretas picadas
    1 xícara de chá de cheiro verde picado ( salsinha e cebolinha)
    3 colheres de sopa de azeite

    Creme

    2 copos americanos de leite integral
    1 lata de milho verde
    1 colher de sobremesa de sal
    3 colheres de sopa de farinha de trigo
    2 colheres de sopa bem cheia de requeijão cremoso

    Cobertura

    100gr de queijo parmesão ralado
    1/2 xícara de chá de cheiro verde picado
    100gr de batata palha

    Preparo recheio
    Frite a cebola com as 3 colheres de azeite, acrescente o bacalhau, o cheiro verde refogue bem cerca + ou - 4 minutos, coloque os tomates e as azeitonas, reserve.

    Preparo do creme
    Bata no liquidificador, o milho, o leite, o sal e a farinha de trigo por 3 minutos (coloque os líquidos primeiro no liquidificador) em seguida leve ao fogo alto, mexendo sempre até engrossar, retire do fogo acrescente o requeijão e misture bem.

    Montagem
    Em um refratário, coloque uma camada de creme em seguida uma de recheio, alterne as camadas terminando com o creme, salpique o cheiro verde picado em seguida o queijo parmesão ralado, leve ao forno alto, por 10 minutos, retire do forno, termine colocando as batatas palhas por cima.
    Dica : poderá ser substituído o bacalhau pela mesma quantia de peito de frango desfiado

    terça-feira, 31 de janeiro de 2012

    Escondidinho de Bacalhau

    Essa receita foi minha amiga Paula Barrozo que me mandou, e vale a pena fazer, é dos deuses!!!!!

     


                                                  
    Ingredientes


    Purê
    1 kg de macaxeira (aipim, mandioca) cozida e espremida
    1 ovo
    1 colher (sopa) de manteiga
    2 colheres (sopa) de requeijão
    200 g de creme de leite
    3 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
    Sal e pimenta a gosto

    Recheio
    2 cebolas médias picadas
    1 pimentão vermelho sem pele picado
    2 dentes de alho picados
    2 colheres (sopa) de azeite
    1 pote de cream cheese ou requeijão
    600 g de bacalhau dessalgado, cozido e separado em lascas
    2 tomates sem pele e sem sementes picados
    1/2 xícara de cebolinha picada
    1/2 xícara de azeitonas pretas picadas (opcional)
    1 colher (sobremesa) de coentro

    Sal e pimenta a gosto


     

    Modo de Preparo


    Cozinhe a macaxeira em uma panela de pressão até que fique macia. Passe a macaxeira por um espremedor de batatas, acrescente o ovo, o creme de leite, a manteiga, o requeijão e o queijo ralado. Misture bem. Tempere com sal e pimenta a gosto. Reserve.
    Em uma panela média, em fogo médio, aqueça o azeite e refogue a cebola e o alho, acrescente o pimentão e os tomates e dê uma refogada a mais. Adicione o bacalhau desfiado e dê uma refogada. Adicione o cream cheese, as cebolinhas picadas, as azeitonas e o coentro. Mexa bem e tempere com sal e pimenta a gosto.
    Coloque o refogado em um refratário untado com azeite. Polvilhe com queijo ralado (pode ser provolone ou parmesão). Cubra com o purê de macaxeira e polvilhe com mais queijo ralado e cebolinha. Leve ao forno médio, pré-aquecido, por uns 20 minutos ou até dourar.
    Sirva quente acompanhado de uma boa salada verde.


    BACALHAU



    Originário das águas frias e límpidas dos mares que circulam o Pólo Norte, o bacalhau é um alimento milenar: registros mostram a existência de fábricas para seu processamento na Islândia e na Noruega desde o século IX.
    O mercador holandês Yapes Ypess foi o primeiro a fundar uma indústria de transformação na Noruega, por isso, é considerado o pai da comercialização do peixe industrializado. A partir de então, a demanda pelo peixe passou a crescer na Europa, América e África, o que proporcionou o aumento do número de barcos pesqueiros e de pequenas e médias indústrias pela costa norueguesa, transformando a Noruega no principal pólo mundial de pesca e exportação do bacalhau.

    Mas os grandes pioneiros no consumo do bacalhau são os Vikings que, ao descobrirem o peixe, passaram a secá-lo ao ar livre (na época o sal não existia) até endurecer – perdendo cerca da quinta parte de seu peso – para poder consumi-lo aos pedaços em suas longas viagens marítimas.



    Antes da industrialização do bacalhau, os bascos – cujo território atualmente está espalhado em províncias da Espanha e da França – já comercializavam o bacalhau.
    Como já conheciam o sal, eles começaram a salgar o pescado para aumentar sua durabilidade.
    O bacalhau passou a ser comercializado curado e salgado por volta do ano 1000.
    Os bascos expandiram o mercado do bacalhau, tornando-o um negócio internacional porque o sal não deixava que o peixe estragasse com facilidade. Quanto mais durável o produto, mais fácil era sua comercialização. Como a geladeira só foi inventada no século XX, os alimentos que estragavam rapidamente tinham comércio limitado.

    Então, já na idade medieval, o bacalhau ganhou o título de alimento durável e com sabor mais agradável que o dos outros pescados salgados.
    Para a população pobre que raramente podia comprar peixe fresco, o bacalhau era um prato "cheio" porque era barato e tinha alto valor nutritivo.
    A soberania da Igreja Católica foi outro facilitador para seu comércio: o catolicismo impunha dias de jejum – que compreendiam as sextas-feiras, os quarenta dias da quaresma e muitos outros dias do calendário cristão – nos quais se proibia a ingestão de comidas "quentes" como as carnes; somente as comidas "frias", como os peixes, eram permitidas. Assim, a carne passou a ser proibida em quase metade dos dias do ano, e os dias de jejum acabaram se tornando dias de bacalhau salgado.



    O hábito brasileiro de saborear bacalhau é herança da colonização portuguesa, que começou a se disseminar a partir do descobrimento do Brasil. Mas somente com a chegada da corte portuguesa e dos comerciantes lusos no país, no início do século XIX, que o consumo do pescado foi impulsionado e difundido entre a população.
    No mesmo período, o Brasil estreita os laços comerciais com a Noruega e começa a importar o Bacalhau: a primeira exportação oficial do produto aconteceu em 1843. Hoje cerca de 95 porcento do bacalhau consumido no Brasil tem sua origem na Noruega.

    Caracterizado inicialmente como um alimento barato, sempre presente nas mesas das camadas populares, o bacalhau virou artigo elitizado depois da Segunda Guerra Mundial. Como havia escassez de alimentos em toda a Europa, o preço do pescado subiu e seu consumo ficou restrito: passou a ser consumido apenas nas principais festas cristãs.
    Com o passar dos anos, o peixe se enraizou à culinária do país e conquistou definitivamente o paladar dos brasileiros, estimulando chefs e apreciadores a prepararem receitas criativas e saborosas. Tanto que se tornou tradição comer bacalhau em épocas festivas e de confraternização como Semana Santa e Natal
    Iguarias com o nobre pescado estão sempre presentes nos bons restaurantes e nos cadernos de receitas das donas-de-casa brasileiras. Graças a sua versatilidade, o peixe pode ser preparado de diversas formas e se adapta a uma infinidade de receitas. O bolinho de bacalhau, por exemplo, é preparado de forma muito peculiar no Brasil e se tornou uma preferência nacional. 



    Os 5 tipos de bacalhau salgado e seco

    Do ponto de vista técnico, entende-se por peixe salgado e seco o produto elaborado com peixe limpo, eviscerado, com ou sem cabeça e convenientemente tratado pelo sal ( cloreto de sódio ) , devidamente seco, não podendo conter mais de 40% de umidade para as espécies consideradas gordas, tolerando-se 5% a mais para as espécies consideradas magras.
    Dentro destas características, existem 5 tipos diferentes de peixes salgados secos no mercado brasileiro
    : Cod Gadus Morhua, Cod Gadus Macrocephalus, Saithe, Ling e Zarbo.
    Pela
    legislação que está sendo aprovada, apenas dois tipos poderão utilizar a designação Bacalhau: o Cod Gadus Morhua, o Legítimo Bacalhau, e o Cod Gadus Macrocephalus, o bacalhau do Pacífico. Os demais deverão receber a designação"pescado salgado seco".




    Cod
    Cod gadus morhua
    É o legítimo bacalhau. Também conhecido como bacalhau do porto, é considerado o mais nobre. A cor é de tom palha e uniforme quando salgado e seco. As postas são mais altas e largas. Quando cozido, desfaz-se em lascas claras e tenras.

    Cod gadus macrocephalus
    A diferença com relação ao outro é a coloração mais esbranquiçada . Muito semelhante ao legítimo bacalhau. Quando cozido, não se desfaz em lascas, mas pode ser facilmente desfiado.
    Saithe
    Possui um sabor forte e coloração menos clara que os demais tipos. Quando cozido desfia com facilidade. Escolha ideal para preparo de bolinhos, saladas e ensopados.

    Ling
    É o tipo de bacalhau mais fino e comprido. Seu corte é muito apreciado no Brasil. Sua carne é clara e muito bonita. É ideal para grelhados, já que resiste mais ao calor sem se desfazer.

    Zarbo
    É o mais popular. Menor do que os demais tipos, tem a textura mais firme e clara. Recomendado para o preparo de pratos desfiados, caldos e bolinhos.



    Dessalgar


    O bacalhau é seco e salgado, então é necessário dessalgá-lo e hidratá-lo novamente. O bacalhau pode ganhar até 20% peso se for corretamente dessalgado.

    Veja como é simples dessalgar e aproveitar o melhor do peixe, fazendo ele render e ficar com um sabor excepcional:
    Depois de cortar o bacalhau em postas, coloque-o submerso dentro de um vasilhame sob um fio d'água por uns 10 minutos;
    Coloque o vasilhame com o bacalhau coberto de água fria dentro da geladeira;
    Dessalgue o bacalhau dentro da geladeira, pois assim ele irá ficar tenro e consistente. Na água gelada o bacalhau não irá exalar cheiro algum. Se dessalgado fora da geladeira, o bacalhau vai exalar forte cheiro, podendo pré-cozinhar e até estragar, principalmente nos dias mais quentes;
    O tempo médio para dessalgue depende da altura das postas ( ou lombos) do bacalhau:

    Postas pequenas: Trocar a água de 6/6 horas, durante 24 a 30 horas.
    Postas médias: Trocar a água de de 6/6 horas, durante 30 a 36 horas.
    Postas largas: Trocar a água de de 6/6 horas, durante 30 a 36 horas.
    Bacalhau desfiado (lascas grandes): Trocar a água de 3/3 horas, durante 6 a 9
    horas.


    Dicas de Preparo 
    Para saber a quantidade de bacalhau numa refeição, calcule entre 150g e 250g por pessoa;
    O melhor momento para retirar a pele do bacalhau é quando ele ainda está salgado e seco: levante a pele em uma das extremidades e retire-a com puxadas firmes. Depois do cozimento, a pele também sai com facilidade. O melhor momento para retirar as espinhas é quando se desfia o bacalhau ainda salgado e seco ou depois do cozimento;
    O bacalhau não deve ser fervido, a não ser que a receita ou o preparo indiquem. A fervura prejudica o paladar e resseca o peixe. Deve ser sempre preparado em água a ferver, ou seja, em fogo brando, sem borbulhar; você pode reservar o caldo do bacalhau ( a água do cozimento ) para cozinhar as batatas ou o arroz.
    Em receitas de bacalhau ao forno ou bacalhau na brasa, faça um pré-cozimento no bacalhau, colocando-o em um tabuleiro imerso em água em fogo brando, sem ferver, durante 10 minutos;
    Se quiser apurar o paladar do bacalhau, de acordo com a receita, deixe-o temperado com azeite e ervas ( p.ex. coentro ou salsa ) ou submerso no leite durante pelo menos 2 horas antes do preparo;
    A qualidade da refeição com bacalhau também depende da qualidade dos complementos: o azeite de oliva deve ser extra-virgem, de preferência português; as batatas, do tipo HBT; as azeitonas pretas, portuguesas, e as verdes, portuguesas, argentinas ou espanholas.

    Aproveite tudo 
    Separe a pele, espinhas e aparas. Depois de dessalgar, dê uma rápida escaldada jogando água quente e esperando esfriar um pouco para limpar. Com uma faquinha bem afiada, raspe a pele e a parte branca. Retire com cuidado as espinhas: as partes altas do lombo podem ser utilizadas inteiras, por isso todo cuidado na separação.
    Você pode aproveitar as aparas do bacalhau em bolinhos, saladas e recheios.
    Utilize a pele e as espinhas para fazer um pirão. Ficará delicioso.
    Aproveite a água da fervura do bacalhau para cozinhar as batatas e para fazer o arroz de acompanhamento: ficam perfeitos no acompanhamento.
    E não se esqueça: do bacalhau, tudo se aproveita.

    Quem congela sempre tem
    Quem gosta de bacalhau quer ter sempre essa alternativa culinária à mão.
    De repente, dá aquela vontade de comer algo diferente, ou chega uma visita inesperada, e é só abrir o congelador: lá está ele para salvar sua refeição.
    Para isso, você precisa comprar uma quantidade maior e dessalgar tudo de uma só vez. Uma parte você destina ao preparo do prato que será consumido logo. A outra porção, você congela. Prático, não acha ?
    Para congelar, depois de dessalgar, enxugue o bacalhau em um pano limpo, apertando-o levemente para secar um pouco. Pincele com um bom azeite português toda a superfície, para impedir o ressecamento provocado pelo gelo. Guarde no freezer em um vasilhame bem fechado.
    Para descongelar, o ideal é retirar do freezer para a geladeira, e esperar pacientemente. Mas não há inconveniente em descongelar o bacalhau na temperatura ambiente.